domingo, 7 de dezembro de 2008

Ser Livre Pra Voar - parte II

a história de um pássaro a partir do ponto de vista de alguém que quer controlar o destino

para um pássaro que descobriu que o céu é muito mais que algo azul.




Talvez o céu seja mais interessante do que imaginamos. Do jeito que o pássaro olha, deve ser tão interessante que chega a ser assustador.

Voar é tão inerente dos pássaros... Eles já nascem com asas para esse propósito (pelo menos a maioria deles): desbravar a imensadão azul carinhosamente chamada de céu. Não é como voar de avião. É diferente, é algo naturalmente seu.

Dessa forma, fica claro que os pássaros e o céu foram feitos um para o outro.

E por se pertencerem dessa forma, também fica claro que, cedo ou tarde, independetemente de qualquer coisa, aquele pássaro teria que optar por voar.

Voa...

Ele me olhou novamente.

O céu é seu, você pode tudo.

Voltou a fitar o céu de forma decidida.

Voa, passarinho, voa.

Deu uma chacoalhada no corpo e abriu as asas.

O céu é seu, você pode tudo.

Ele não olhou mais para mim. Simplesmente baixou a cabeça e olhou o chão. Ergueu a cabeça e fitou o céu. Com as asas abertas ele mergulhou e, em poucos segundos, já estava subindo, subindo...

Lá de cima a vista devia ser incrível.

Ele não poderia estar em outro lugar.

Raabe M. Gabriel, O7/12/2OO8

Nenhum comentário: